sábado, 25 de abril de 2009

Na rota do 51

Todo dia é assim, saio cedinho, depois de 10 ou 15 minutos, quando estou com sorte, ele chega ainda vazio, circula por todo o bairro é segue frenético. A cada parada um novo rosto, novas histórias, pouco sorriso formando uma multidão.
Aquela senhora que os cabelos brancos deixam revelar os seus 60 e poucos anos corre ao seu ritmo para mostrar a carteira de identidade, depois volta é já com alguma dificuldade, entra pela porta traseira, procurando lugar para sentar. Todos os lugares preferenciais estão ocupados por jovens distraídos com os seus mp3, mp4.
Ao meu lado uma aluna estampava o nome de um dos colégios particulares mais conhecidos da cidade, conversava com a colega que estava em pé, também da mesma escola. Risos, expressões exageradas, mãos que iam e vinham em minha direção. Eu, invisível aos olhos delas pensava: será que educação virou sinônimo de aprovação no vestibular?! É apenas isso e mais nada!
Uma jovem mãe chamou á atenção ao subir com uma criança aparentemente doente ao colo, uma bolsa e um guarda chuva. Sentou-se ali mesmo, estava muito carregada para passar. Só então, ao se aproximar de um hospital, atravessou aquela barreira humana, quase intransponível. As pessoas pareciam sensibilizadas, ofereciam lugar para sentar, seguravam sua bolsa, mas, tudo que ela queria naquele momento, era chegar ao seu destino.
Vitrines mostravam a nova tendência, roupas bonitas, lindos tapete decoravam a loja, o vai e vem das pessoas atravessando a avenida, finalmente havia acabado o meu percurso. Só as imagens simbólicas permaneceram.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Confira

video

Para ver e ouvir a suavidade da voz inconfundivél de Carla Bruni em Quelqu'un m'a dit, Tout le monde and more. Cantora e compositora franco-italiana, lançou seu primeiro disco "Quelqu'un m'a dit", em que a canção era a principal influência; elogiado pela crítica, vendeu mais de 200 mil cópias na França e foi número 1 em vendas na Amazon do país. Com o lançamento desse álbum, a canção passou a fazer parte definitivamente de sua vida.

[55% DOS BRASILEIROS CONHECEM MULHERES QUE SOFRERAM AGRESSÕES]


Segundo dados da pesquisa ibope “Percepções sobre a violência doméstica contra a mulher no Brasil”, 55% dos entrevistados conhecem alguma mulher vítima de agressão no país. De acordo com a pesquisa, 56% das entrevistadas apontam a violência doméstica como um dos problemas que mais preocupam as mulheres atualmente. A pesquisa foi realizada com 2.000 pessoas em todas as regiões do país, entre os dias 13 e 17 de fevereiro.
Esses dados são preocupantes. Não podemos ficar indiferentes a eles. Mesmo quem não teve o desprazer de sentir na pele às agressões pelas quais milhares de mulheres são submetidas em todo mundo e em geral, tendo como protagonista, maridos, companheiros, namorados, deve sentir na alma ou mesmo na consciência o drama vivenciado por elas.
Esta realidade vem de todos os lados e atinge mulheres de todas as raças, credos e idades, mesmo com a Lei Maria da penha em vigor. Inclusive, em alguns casos chega a ser praticada por aqueles que em “tese “deveriam zelar, pelo cumprimento da Lei e dos Direitos Humanos.
A Lei 11.340/06, conhecida como Lei Maria da Penha veio para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher.
A nós mulheres, cabe o dever de fazer valer cada palavra escrita com muita luta e coragem no âmbito da Lei.

Sirlia Lira

<

domingo, 19 de abril de 2009

Reviver








Parece que foi ontem
O sol escureceu
O dia tornou-se longo
Fingindo não saber

Parece que é agora
Que vai acontecer
Memórias do passado
Voltando a reviver.